Perguntas frequentes

Dê uma olhada nas dúvidas recorrentes entre as mulheres adultas com acne que também podem ser suas.

ACNE GERAL

  1. O que é acne?
  2. Por que a acne aparece ou persiste em algumas mulheres adultas?
  3. Quais as diferenças da acne na mulher adulta e na adolescência?
  4. Qual a frequência da acne em mulheres adultas?
  5. Espremer cravos e espinhas piora o estado da acne?

SINAIS E SINTOMAS

  1. Como são as espinhas na mulher adulta?
  2. Com que rapidez a acne se desenvolve na mulher adulta?
  3. Qual é a gravidade da acne na mulher adulta?
  4. Como a acne afeta a qualidade de vida da mulher adulta?

CAUSAS

  1. O que causa a acne na mulher adulta?
  2. A acne da mulher adulta é hereditária?
  3. Como os hormônios influenciam na acne da mulher adulta?
  4. Fumar é um hábito ligado ao aparecimento da acne na mulher adulta?
  5. Alguns alimentos causam acne na fase adulta?
  6. Maquiagem causa acne na mulher adulta?
  7. Tomar sol causa ou agrava a condição da acne?

TRATAMENTOS

  1. Qual tipo de tratamento está disponível para mulheres adultas com acne?
  2. Além de tratar minha acne com medicamentos, há outras medidas que posso tomar para melhorar minha pele?

AZELAN®

  1. O que é Azelan®?
  2. O que é ácido azelaico?
  3. Como Azelan® funciona?
  4. Como e onde você deve aplicar Azelan®?
  5. O que devo fazer se minha pele ficar irritada ou descamar após o uso de Azelan®?
  6. Quanto tempo leva para eu perceber um bom resultado ao usar Azelan®?
  7. O que devo fazer se não houver melhora mesmo aplicando Azelan®?
  8. Azelan® é bem tolerado?
  9. Posso usar Azelan® a longo prazo?
  10. Azelan® pode ser usado durante a gravidez e aleitamento materno?
  11. Ao usar Azelan®, posso me expor ao sol?
  12. Posso utilizar Azelan® com os meus cosméticos habituais?
  13. Onde posso comprar Azelan®?

ACNE GERAL

  1. O que é acne?

    A acne é uma condição comum que ocorre quando a oleosidade, células mortas e maior produção de sebo bloqueiam os poros da pele, resultando em cravos e espinhas. A acne pode ser classificada como leve, moderada ou grave, dependendo da quantidade e da forma como aparece1, 2.

  2. Por que a acne aparece ou persiste em algumas mulheres adultas?

    Embora a acne seja considerada geralmente um problema apenas da fase adolescente, ela também pode afetar mulheres adultas. Neste caso, a acne persiste além da adolescência, ou surge na fase adulta por mudança hormonal, como a maior produção de andrógenos e testosterona. A oleosidade excessiva também pode ser causada pela proximidade da menstruação, por estresse, menopausa, gravidez, como também da predisposição genética ou uso de medicamentos e cosméticos com substâncias que causam e aumentam espinhas e cravos3.

  3. Quais as diferenças da acne na mulher adulta e na adolescência?

    Em mulheres adultas, as espinhas ocupam mais o queixo, mandíbula e pescoço, região chamada de zona U, que chegam à vermelhidão e inflamação. Os cravos, geralmente aparecem menos. Já em adolescentes, a acne costuma aparecer na testa, nariz e bochechas, partes conhecidas como zona T. Cravos e espinhas com ponta amarela e vermelha, com maior grau de inflamação, também ocorrem mais na adolescência3.

  4. Qual a frequência da acne em mulheres adultas?

    Quase metade das mulheres, com idade entre 21 e 30 anos sofrem com a acne, já uma em cada quatro mulheres de 31 a 40 anos são afetadas com o mesmo problema4.

  5. Espremer cravos e espinhas piora o estado da acne?

    Sim. Muitas vezes, ao mexer nas espinhas você piora a situação, pois elas podem aumentar em número, agravar a inflamação e deixar cicatrizes e manchas que são muito difíceis de tratar. A retirada de cravos e espinhas é conveniente desde que seja feita por um profissional especializado, de maneira correta e no local adequado. O seu dermatologista pode orientar sobre esta necessidade. O ideal é não espremer, nem cutucar essas erupções5.

SINAIS E SINTOMAS

  1. Como são as espinhas na mulher adulta?

    Frequentemente as espinhas são vermelhas e inflamadas, variando em tamanho e podem ser doloridas. Cravos e espinhas de ponta amarela são menos comuns em mulheres adultas3.

  2. Com que rapidez a acne se desenvolve na mulher adulta?

    Ao contrário da adolescência, com crises e erupções frequentes, na mulher adulta, geralmente, a acne se desenvolve ao longo do tempo e de forma gradual3.

  3. Qual é a gravidade da acne na mulher adulta?

    De um modo geral, a acne em mulheres adultas tende a ser de grau leve a moderado3.

  4. Como a acne afeta a qualidade de vida da mulher adulta?

    Mesmo sendo considerado um problema comum, quando a acne persiste na fase adulta pode impactar seu dia a dia, bem-estar social, psicológico e emocional. A preocupação vai desde querer disfarçar a erupção com maquiagem, atentando-se a componentes que não prejudiquem ainda mais a condição das espinhas e cravos, até a controlar o humor pois o estresse, por exemplo, pode provocar o surgimento ou a piora da acne3.

CAUSAS

  1. O que causa a acne na mulher adulta?

    Além da oleosidade e aumento da produção sebácea, que ajudam na proliferação da bactéria Propionibacterium acnes, outros fatores contribuem para o entupimento dos poros, aparecimento e piora da acne. Entre eles, desequilíbrio hormonal, estresse, histórico familiar, tabagismo , cosméticos, loções à base de óleo, muita exposição ao sol, alimentação com alto índice glicêmico e de laticínios, além de algumas medicações1, 6, 7, 8, 9.

  2. A acne da mulher adulta é hereditária?

    Cerca de metade das mulheres adultas com acne tem uma mãe ou irmã com o mesmo problema. No caso de irmãs gêmeas, um estudo com 1.557 gêmeas mostra que 81% das mulheres na faixa dos 45 anos possuem histórico familiar como um dos principais desencadeadores deste problema de pele7, 10.

  3. Como os hormônios influenciam na acne da mulher adulta?

    Hormônios, quando alterados, como a testosterona e o cortisol, podem causar ou piorar a acne na mulher adulta. As espinhas também podem se agravar se passarmos por situações estressantes ou nos períodos próximos à menstruação6.

  4. Fumar é um hábito ligado ao aparecimento da acne na mulher adulta?

    Sim. Fumar pode fazer com que a sua acne piore, causando crises e erupções mais frequentes8.

  5. Alguns alimentos causam acne na fase adulta?

    Cada organismo reage de uma forma às diferentes dietas, mas alguns alimentos em excesso podem piorar a acne. Este é o caso da carne vermelha, frituras, leite e seus derivados, elementos com alto índice glicêmico como massas de farinha branca, açúcar, arroz e batata. Não há nenhuma prova de que o chocolate resulta ou agrava as espinhas, contudo, pelo alto nível de açúcar, é melhor optar pelo amargo e com maior concentração de cacau. Como solução, é importante ter o hábito de comer legumes, verduras, frutas e beber pelo menos dois litros de água por dia. Uma dieta balanceada e saudável sempre ajuda a manter o equilíbrio do corpo, inclusive da nossa pele9. Saiba mais aqui.

  6. Maquiagem causa acne na mulher adulta?

    Antigamente muitos cosméticos continham componentes que bloqueavam os poros, causando ou piorando a acne. Mas, atualmente o mercado da beleza oferece produtos com fórmulas não comedogênicas e oil-free. Antes de experimentar uma make up, use um tônico adstringente para tirar oleosidade e impurezas da face, e não se esqueça de retirar a maquiagem com um demaquilante apropriado, lavando com sabonete de pH adequado e aplicando um hidratante livre de óleo se achar necessário. Assim, você garante uma pele bonita e limpa. Caso esteja fazendo algum tratamento contra acne, verifique se há restrições de uso do medicamento. Azelan®, por exemplo, pode ser utilizado junto a outros medicamentos e cosméticos11.

  7. Tomar sol causa ou agrava a condição da acne?

    Em pequena quantidade, o sol na pele tem efeito secativo sobre as espinhas já que ele age como bactericida. Mas quando a face fica mais exposta aos raios solares apresenta maior oleosidade e, consequentemente, agrava a acne. Além disso, durante o tratamento com alguns produtos não é recomendado exposição à luz solar porque pode favorecer o aparecimento de manchas. Não é o caso de Azelan®, que não tem efeito potencial para causar fotossensibilidade12.

TRATAMENTOS

  1. Qual tipo de tratamento está disponível para mulheres adultas com acne?

    Medicamentos aplicados direto na pele ou de uso oral poderão ser recomendados para acne. Para mais detalhes sobre os diferentes tipos de medicamentos disponíveis, consulte seu médico.

  2. Além de tratar minha acne com medicamentos, há outras medidas que posso tomar para melhorar minha pele?

    Pesquisas mostraram que terapias de luz, terapia fotodinâmica, terapia a laser e peelings químicos contendo ácido salicílico ou ácido glicêmico podem ter eficácia. Além disso, uma reeducação alimentar pode ser benéfica à saúde da pele13, 14, 15, 16.

AZELAN®

  1. O que é Azelan®?

    O princípio ativo de Azelan® é o ácido azelaico. Azelan® é um tratamento tópico, ou seja, aplicado diretamente na pele, encontrado em farmácias nas versões creme e gel para se adequar às necessidades da sua pele.

  2. O que é ácido azelaico?

    O ácido azelaico é encontrado em cereais integrais, centeio e cevada. A substância afeta o metabolismo das células da pele e tem efeito antioxidante, limpando os radicais livres que causam danos e inflamação na pele. É um agente eficiente no combate da acne17, 18.

  3. Como Azelan® funciona?

    A tripla ação de Azelan® tem os seguintes benefícios principais19:

    • - Trata a acne, controla a longo prazo e ajuda a renovar a saúde da pele.

  4. Como e onde você deve aplicar Azelan®?

    Limpe e seque bem o rosto. Aplique Azelan®, espalhando suavemente por toda a região desejada.

  5. O que devo fazer se minha pele ficar irritada ou descamar após o uso de Azelan®?

    Se a sua pele formigar ou descamar um pouco podem ser os efeitos dos primeiros três meses de tratamento. Em caso de irritação, é recomendado diminuir o uso de duas para uma vez por dia, ou se essas implicações persistirem um dermatologista deverá ser consultado20.

  6. Quanto tempo leva para eu perceber um bom resultado ao usar Azelan®?

    Os resultados podem aparecer já com 4 semanas de tratamento. Para potencializar os efeitos, continue usando Azelan® após esse tempo20.

  7. O que devo fazer se não houver melhora mesmo aplicando Azelan®?

    Se as ocorrências de acne se agravarem ou não registrar melhora após 4 semanas, você deve procurar orientação médica20.

  8. Azelan® é bem tolerado?

    Azelan® é em geral bem tolerado. Estudos têm demonstrado que Azelan® apresentou menos eventos adversos que outros medicamentos tópicos para o tratamento da Acne21, 22.
    Para mais informações sobre a segurança e tolerabilidade de Azelan®, consulte a bula do produto.

  9. Posso usar Azelan® a longo prazo?

    A acne na mulher adulta é uma condição crônica e pode ser persistente, voltando outras vezes. Existem estudos sobre o tratamento da acne com Azelan® com duração de até um ano23. Para mais informações sobre o modo de uso, consulte a bula do produto.

  10. Azelan® pode ser usado durante a gravidez e aleitamento materno?

    Esse medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando sem orientação médica ou do cirurgião dentista20.

  11. Ao usar Azelan®, posso me expor ao sol?

    Sim, Azelan® não apresenta potencial para causar fotossensibilidade. Entretanto, você deve tomar as medidas habituais para se prevenir dos efeitos do sol sobre sua pele. Caso tenha dúvidas, procure orientação de um médico24.

  12. Posso utilizar Azelan® com os meus cosméticos habituais?

    Não há restrições na utilização do produto com cosméticos, maquiagem ou protetor solar. É recomendado o uso de loção adstringente e hidratante junto com qualquer tratamento para acne. Maquiagens não comedogênicas, que não bloqueiam os poros, também ajudam a reduzir o risco de cravos e espinhas. Caso você tenha dúvidas em como usar cosméticos na presença da acne, busque orientação de um dermatologista11, 18.

  13. Onde posso comprar Azelan®?

    Azelan® pode ser adquirido nas farmácias de sua confiança.

Referências

  1. MAYO Clinic Staff. Acne. Disponível em:< http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/acne/basics/definition/con-20020580?p=1> Acesso em: 27/10/2016
  2. EICHENFIELD, L.F., et al. Evidence-Based Recommendations for the Diagnosis and Treatment of Pediatric Acne. Pediatrics, n. 13, p. S163–S186, 2013.
  3. HOLZMANN, R.; SHAKERY, K. Postadolescent acne in females. Skin Pharmacol Physiol. n.27, v. 1, p.3–8, 2014.
  4. PERKINS, A.C. et al. Acne vulgaris in women: prevalence across the life span. J Womens Health (Larchmt). n.21, p.223-230, 2012.
  5. ANNIE CHIU, B.S. et al. The Response of Skin Disease to Stress. Arch Dermatol., v.139, p.897-900, 2003.
  6. ZEICHNER, J.A. Evaluating and treating the adult female patient with acne. J Drugs Dermatol. v.12, p.1416–1427, 2013.
  7. GOULDEN, V.; CLARK, S.M.; CUNLIFFE, W.J. Post-adolescent acne: a review of clinical features. Br J Dermatol. v. 136, p. 66–70, 1997
  8. PRENEAU, S.; DRENO, B. Female acne - a different subtype of teenager acne? J Eur Acad Dermatol Venereol., v.26, p.277– 282, 2012.
  9. FERDOWSIAN, H.R.; LEVIN, S. Does diet really affect acne? Skin Therapy Lett, v.15, p.1-2, 2010.
  10. BATAILLE, V. et al. The influence of genetics and environmental factors in the pathogenesis of acne: a twin study of acne in women. J Invest Dermatol., v. 119, p. 1317–1322, 2002.
  11. GOODMAN, G. Acne. Natural history, facts and myths. Aus Fam Physician., v. 35, p. 613-616, 2006.
  12. MAGIN, P. et al. A systematic review of the evidence for ‘myths and misconceptions’ in acne management: diet, face-washing and sunlight. Fam Pract., v. 22, p.62-70, 2012.
  13. CAO, H. et al. Complementary therapies for acne vulgaris. Cochrane Database of Systematic Reviews, v. 1, Art. No.: CD009436, 2006.
  14. WHITNEY, K.M.; DITRE, C.M. Management strategies for acne vulgaris. Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology, n.4, p. 41-53, 2011.
  15. THIBOUTOT, D. et al. New insights into the management of acne: An update from the Global Alliance to Improve Outcomes in Acne Group. J Am Acad Dermatol., v.60, p.S1-50, 2009.
  16. SPENCER, E.H. et al. Diet and acne: a review of the evidence. Int J Dermatol., v.48, p.339-47, 2009.
  17. BREATHNACH,A.; LEVI- MONTALCINI, R. The story of azelaic acid: a tribute to Marcella Nazzarro-Porro. Rend. Fis. Acc. Lincei., v. 6, n. 9, p. 313-320, 1995.
  18. DEWNO, B. et al. Adult female acne: a new paradigm. J Eur Acad Dermatol Venereol. v.27, p.1063–1070, 2013.
  19. SIEBER, M.A.; HEGEL, J.K. Azelaic acid: Properties and mode of action. Skin Pharmacol Physiol., v.27, n.1, p.9–17, 2014.
  20. Azelan® - Bula.
  21. KATSAMBAS, A.; GRAUPE, K.; STRATIGOS, J. Clinical studies of 20% azelaic acid cream in the treatment of acne vulgaris. Comparison with vehicle and topical tretinoin. Acta Derm Venereol Suppl (Stockh)., v.143, p.35–39, 1989.
  22. THIBOUTOT ,D. J Drugs in Dermatol. v. 7, p.13-16, 2008.
  23. HOLZMANN, R.; SHAKERY, K. Postadolescent acne in females. Skin Pharmacol Physiol., v.27, n.1, p.3–8, 2014.
  24. GOLLNICK, H.P. et al. J Dtsch Dermatol Ges., v. 2:, p.841-847, 2004.